Março – mês dedicado à identificação do seu animal

Você já ouviu falar sobre o microchip?
Pois saiba que há muitas vantagens em ter um animal com microchip e a cada dia mais pessoas se conformam da sua importância.

A Vetistuta dedica o mês de Março à Identificação Animal.

Sabia que: O microchip é quase do tamanho de um grão de arroz e é feito com um vidro cirúrgico (biovidro), tem um circuito eletrônico que possui um código exclusivo, o qual não pode ser alterado.

Esta é uma forma extremamente eficaz de identificação dos animais de companhia, uma vez que acompanhará o animal durante toda a sua vida. Em caso de abandono ou fuga do animal, qualquer pessoa que o encontre poderá levá-lo a uma clínica veterinária ou canil municipal onde o médico veterinário, através de um leitor de microchip, visualizará o código constante da cápsula e obterá, através da base de dados nacional, a identificação do detentor do animal em causa.

Desde 1 de Julho de 2004 já é obrigatória a identificação electrónica dos cães de caça, dos cães perigosos ou potencialmente perigosos (assim considerados de acordo com os critérios legais) e dos cães de exposição.
A partir de 1 de Julho de 2008 passará a ser obrigatória a identificação electrónica de todos os cães e gatos nascidos após essa data, devendo todos os animais ser devidamente registados e identificados electrónicamente entre os 3 e os 6 meses de idade.

A partir do momento em que seja obrigatória a identificação electrónica dos cães e gatos, a sua não identificação nos termos e prazos previstos constituirá contraordenação punível pelo Presidente da Câmara com coima de 50€ a 1.850€ ou 22.000€ consoante o agente seja pessoa singular ou colectiva.

 

 

Posted by
Teresa Neto